Português poderá ser língua oficial das Nações Unidas nos próximos cinco anos

Ir em baixo

Português poderá ser língua oficial das Nações Unidas nos próximos cinco anos

Mensagem  Nambuangongo em Sex Abr 22, 2011 12:08 pm

Macau, China, 14 abr (Lusa) -- O linguista João Malaca Casteleiro disse hoje à Agência Lusa em Macau acreditar que o português se possa tornar na sétima língua oficial das Nações Unidas nos próximos cinco anos, considerando "inevitável" uma reforma daquela organização.

"Portugal está a atravessar uma situação económica difícil e, portanto, o investimento que faz na promoção da língua portuguesa no estrangeiro é enorme", disse João Malaca Casteleiro, da Academia de Ciências de Lisboa, à margem do 15.º Colóquio da Lusofonia em Macau.

Ao observar que o Brasil "tem uma capacidade maior" para projetar o português a nível internacional, o linguista que participou na redação do novo Acordo Ortográfico considera que hoje a preocupação é "harmonizar as duas intervenções".

"Neste momento, espera-se que, com a grande projeção do Brasil no plano internacional e uma possível entrada no conselho permanente das Nações Unidas, a língua portuguesa se acrescente às seis línguas oficiais daquela organização, o que poderá acontecer nos próximos três, quatro, cinco anos", disse.

Malaca Casteleiro admite essa possibilidade ao considerar ser "inevitável uma reforma das Nações Unidas" e ao realçar que existe uma maior "cooperação entre povos e países, como os Estados Unidos, Rússia e a China, que esbateram muitos atritos, o que favorece essa reforma".

O português é a terceira língua europeia mais falada no mundo, depois do inglês e do espanhol, por 240 milhões de pessoas nos quatro continentes.

"É uma língua de grande projeção internacional, é a língua de ensino e aprendizagem em várias instituições estrangeiras e a língua oficial e de trabalho de cerca de 20 instituições internacionais", referiu aquele linguista.

Ao considerar que o "valor, mérito e projeção do português estão a ser compreendidas por instituições lusófonas, como a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)", Malaca Casteleiro sublinhou que hoje se procura "harmonizar uma política comum da língua que seja projetada nos oito países de língua portuguesa e também em Macau e na Galiza, onde há uma forte corrente a favor da reintegração da norma galega do português no seio da lusofonia".

O linguista sublinhou também a importância do português como ativo estratégico da política externa portuguesa, considerando que este aspeto "foi muito bem compreendido nos últimos dois, três anos".

"Quando fazemos negócios, projetamos a nível internacional os nossos produtos e se do outro lado tivermos interlocutores na nossa língua é extremamente salutar, porque há uma maior empatia na promoção dos nossos próprios produtos", disse.

Ao salientar a importância das relações económicas com o Brasil, Malaca Casteleiro considera que Portugal deve também desenvolver as relações com os países de língua espanhola.

"Há uma grande capacidade de intercomunicação entre falantes de espanhol e português e estou convencido que isso é salutar para a promoção do nosso país, do português e para o intercâmbio dos povos que falam português", rematou.

PNE.


http://noticias.sapo.ao/lusa/artigo/12420429.html
avatar
Nambuangongo

Mensagens : 188
Data de inscrição : 25/12/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum